terça-feira, 6 de agosto de 2013

The Killing




Comecei a ler este livro, com algum entusiasmo. A série na televisão (que eu não vi) merecia alguns comentários interessantes de quem via e quando me "deram" o livro, aí fui eu.

E a dada altura, senti-me aborrecida.

Não estou a queixar-me do livro, nem a tecer critica ao autor. Apenas me aborreci. Eu gosto de uma boa história policial e independente de todo o enredo que possa ter, não precisa de ter outras acções paralelas, mesmo que sejam necessárias para o enredo, quando essas acções ocupam quase tanto espaço como a acção principal. Sou chata, eu, mas sou assim. E atenção que raramente é meu apanágio usar estas três palavras para me justificar de tudo, mas no que respeita leituras, cai bem.

Por causa disto, porque esta acção paralela, a campanha eleitoral e seus intervenientes me aborreceram, ainda que fossem suspeitos do crime, de alguma forma, parei.

Quando comentei com uma colega e ela me deu algumas dicas do que vira na série, pensei: vou ultrapassar, vou continuar e aí segui eu... cheguei ao fim e só agora me dei conta (burra! achava que eram histórias independentes por volume) que o volume um, não era apenas figura de estilo, era a realidade. Fiquei na mesma, suspensa da resolução, da descoberta do criminoso (que já sei quem é, mas gostava de saber como os detectives chegavam até ele) e terminado este volume um, não tenho coragem para o volume dois.

Sem desrespeito para quem leu tudo e gostou, eu não vou ler mais e mais valia ter ficado onde fiquei a primeira vez que interrompi.

5 comentários:

José Marcos Serra disse...

Sugestões:
A Mão do Diabo - José Rodrigues dos Santos
Madrugada Suja - Miguel Sousa Tavares
O Mercenário Económico - ??
O Klube Wildberg - Daniel Estulin
e ficará com uma ideia do sub-mundo que nos "governa".
Nota_ substitua K por C e W por B.

Maria João disse...

Tentarei ler, pelo menos os dois primeiros que sempre terão um quê de romance mais leve e espero que não sejam daqueles livros que nos deixam ansiosos a pensar no que vai ser o nosso futuro. Um beijinho

José Marcos Serra disse...

... não falam de futuro, mas de presente... mas ansiedade???!!! Há pessoas que sabem estar acima dessas coisas.

José Marcos Serra disse...

... não falam de futuro, mas de presente... mas ansiedade???!!! Há pessoas que sabem estar acima dessas coisas.

Maria João disse...

Tem que haver um pinguinho de ansiedade para vivermos e não tomarmos tudo como sem importância.