segunda-feira, 25 de julho de 2016

A Testemunha




Marwan Acade é perseguido pela polícia por assassinatos que ele não cometeu. A sua localização exacta será descoberta em questão de tempo, o que colocará as pessoas que ele ama em grande perigo, talvez o pior possa lhes sobrevir.
Uma luta para salvar sua vida hoje e pela eternidade.
Esta ficção vem com muita aventura, mistério e uma rede de intrigas. Acompanhe Marwan Acade e embarque nessa história cheia de suspense.


A ideia do tema, fez-me lembrar de "O Fugitivo", mas neste caso, não há só um policia correto a querer fazer o seu trabalho, há também gente corrupta a querer resolver o caso da forma mais rápida, sem olhar a meios nem a fins.



Marwan foge do local de um crime, que de forma nenhuma o lançaria como suspeito, mas foge, por tantas outras razões e mais à frente, quando depois de ter a certeza que o seu amor de outrora não quer mais nada com ele, envolve-se com Dália e é neste envolvimento que juntamente com a fuga que continua em vigor,  começa a duvidar ser merecedor da vida eterna.



Eu até me considero uma pessoa crente, acho no entanto que esta dúvida colocada assim para aqui, é exagerada, mas o autor é que sabe o que o levou a isso e consegue no final, ainda ser mais exagerado quando em conversa com um pastor cristão, que surge do nada no fim do livro, vai ler a bíblia e fica imediatamente convertido!

Não duvido que haja milagres de conversão, mas neste caso, neste livro, acho que ficava melhor ele ter algumas duvidas esclarecidas e no final dar a entender que até se converteria... para mim foi o ponto negativo do livro, até porque a crença ou não, do personagem, nunca se manifestou de forma assim tão acentuada na narrativa. Deu-se a entender no inicio, quando do nada, o personagem comentou que não se lembrava de Deus há muito tempo e reforçou quando em um museu viram uma pintura sobre o Juízo Final.


Acho que foi assunto demasiado profundo, concluído em um livro tão curto, que pouco falou do tema e o guardou todo para o final.



Já há algum tempo, li uma opinião sobre este livro que na altura, me deixou de pé atrás. Gosto de algumas histórias com cariz religioso, em certa medida e esta não me chamava. 

Passados alguns meses, acho que esqueci essa opinião e iniciei a leitura, certa de seria apenas acção e aventura... nah...
A parte religiosa escrita no final, é interessante, importante, esclarecedora, mas inapropriada para este final.

3 comentários:

Nádia disse...

Fiquei interessada, apesar das questões de fé me serem um bocadinho alheias :)

Maria João disse...

Neste livro em particular não aquecem nem arrefecem! Não alteram a acção, apenas um ponto de vista do personagem no final...

O meu pensamento viaja disse...

Olá, Maria João! Confesso que essa temática não me seduz.
Atualmente leio sobre "arrumação". A autora é japonesa e creio que se chama Marie Kondo, guru na matéria. Gosto do tema, interessa-me.
Comprei ainda "Mindfulness" de Mark Williams e Danny Penman. Estou curiosa ! Depois conto.
Beijinhos