domingo, 3 de janeiro de 2010

O Símbolo Perdido



Washington, D. C.: Robert Langdon, simbologista de Harvard, é convidado à última hora para dar uma palestra no Capitólio. Contudo, pouco depois da sua chegada, é descoberto no centro Rotunda um estranho objecto com cinco símbolos bizarros.
Robert Langdon reconhece-os: trata-se de um convite ancestral para um mundo perdido de saberes esotéricos e ocultos.

Quando Peter Solomon, eminente maçom e filantropo, é brutalmente raptado, Langdon compreende que só poderá salvar o seu mentor se aceitar o misterioso apelo.

Langdon vê-se rapidamente arrastado para aquilo que se encontra por detrás das fachadas da cidade mais poderosa da América: câmaras ocultas, templos e túneis. Tudo o que lhe era familiar se transforma num mundo sombrio e clandestino, habilmente escondido, onde segredos e revelações da Maçonaria o conduzem a uma única verdade, impossível e inconcebível.

Trama de histórias veladas, símbolos secretos e códigos enigmáticos, tecida com brilhantismo, O Símbolo Perdido é um thriller surpreendente e arrebatador que nos surpreende a cada página.
O segredo mais extraordinário e chocante é aquele que se esconde diante dos nossos olhos…

Conforme Dan Brown já nos habituou, muita conversa e pouca acção.
É uma forma de dizer. É claro que tem acção, nem que seja em relatos de situações já passadas que nos aparecem a meio de situações do presente que em certas alturas, gostariamos que não fossem interrompidas. Mas então? Dan Brown é assim mesmo e quem já leu os livros anteriores, já se habituou a este modus operandi. Mais uma boa obra, para quem gosta do estilo e não se aborrece com tanta explicação...

2 comentários:

Miss Slim disse...

Amei ler este livro:)
E a Fúria Divina também já o li, em breve coloco lá no blog, duas delicias de livros mesmo :)

Bjo

Miss Slim disse...

Eu partilho da tua opinião, gostei da Fúria Divina, mas gosto muito mais de Dan Brown sem dúvida.

Bjo