terça-feira, 1 de março de 2016

O Físico





No século XI, Rob Cole abandona com apenas onze anos a pobre e doente cidade de Londres para vaguear pela Inglaterra. Durante as suas deambulações, fazendo malabarismos e vendendo curas para os doentes, vai descobrindo a dimensão mística da sanação. E é através dessa peregrinação que descobre o seu verdadeiro dom, que o levará a converter-se em médico num mundo violento, cheio de superstições e preconceitos.
Tão forte é o seu sonho que decide empreender uma insólita e perigosa viagem à Pérsia, onde estudara na prestigiada escola de Avicena. Aí dar-se-á uma transformação que modificará para sempre a sua história e o seu destino…


Tive este livro em casa, bastante tempo sem ler. Quando olhava para ele, duvidava do interesse a tal ponto que o emprestei sem me preocupar muito com o seu retorno que ainda não aconteceu,

Por mera causalidade consegui uma versão digital e guardei-o mais algum tempo no kindle sem me apressar a ler, até que há duas semanas atrás, na procura de um livro para ler, me voltei a encontrar com ele. E comecei!

E comecei tarde, devo dizer já.
É um livro magnifico. Uma história que se arrasta por uma vida inteira, desde a saíde de Robert Cole de Londres com onze anos, até ao seu regresso, desta vez à Escócia, com mulher e filhos e mais alguns anos de vida familiar.

Sempre me afligiu e invejou, a falta de conformismo que levava as pessoas (ainda leva) a largarem tudo para sofrerem horrores com viagens por terras desconhecidas para conseguirem alcançar os seus sonhos. Mas vistas as coisas, naquela altura, que perdia Robert? A vida que tinha em Londres, não era nenhuma. Era um orfão, sujeito a uma vida desgraçada, se não à morte!

E conseguindo alcançar o objetivo que o levou até à Pérsia não se ficou pelo que aprendeu, estando sempre insatisfeito e desejoso de saber mais, mesmo correndo risco de vida, num país onde qualquer quebra de leis era punida com a mais violenta morte.

Apesar de todos os anos que "vivemos" da vida de Robert Cole, a leitura deste livro faz-se num ápice, desejando ler e ler e ler, para sabermos como chegará ele ao fim, do livro, porque este termina com ele a viver plenamente e a exercer a sua vocação.

Se ainda não leram, nem sequer ouviram falar, leiam, Não percam o tempo que eu perdi, porque vale mesmo a pena.
Consta no final nos agradecimentos que desde livro apenas duas personagens se basearam em figuras que realmente existiram, mas acredito que algures no mundo, naquela época e noutras, houve um Robert Cole.

1 comentário:

Paula disse...

Li este livro há já uns anos e adorei!!!!
Mesmo!
Fica o link se tiver curiosidade :)

http://viajarpelaleitura.blogspot.pt/2010/08/o-fisico-noah-gordon.html